Dicas de espaços para estimular o desenvolvimento infantil

A tecnologia, comunicação e relações seguem mudando em velocidade recorde. O movimento de avanço tecnológico trás, porém, reflexões importantes sobre como práticas e relações interpessoais precisam ser valorizadas e estimuladas, e como práticas desta natureza são essenciais ao desenvolvimento e sucesso emocional dos indivíduos.

Acompanhando este avanço tecnológico, sabe-se do movimento global de busca pelo aprimoramento e redesenho dos espaços pensados para as crianças, buscando atender e acompanhar gerações que nascem com a tecnologia na palma das mãos, mas que apresentarão lacunas em suas vivências se não estimuladas e encorajadas através de ferramentas de aprendizagem que permitam engajá-las à busca pelo conhecimento, estimulando o raciocínio através de tarefas lúdicas e espaços pensados em sua escala. É preciso encorajar o protagonismo da criança no seu caminho até o conhecimento.
A arquitetura tem papel indispensável no planejamento dos espaços que abriguem as necessidades fundamentais das crianças, sendo estas voltadas às emoções, ao senso de pertencimento e ao aprendizado mais simplificado. Cada vez mais, na busca pela retomada das origens da aprendizagem (aquela que ocorre no início de nossas vidas, dentro de casa, junto de nossa família e com viés de descoberta e autoconhecimento) vemos surgirem espaços lúdicos e estrategicamente projetados para abrigar as atividades e necessidades das crianças, seja em casa ou no espaço escolar.

Como sugestão, ao passo em que o espaço físico favorece o crescimento, desenvolvimento e o aprendizado da criança, entendemos que criar espaços destinados às crianças, mas que tenham sido estrategicamente projetados para elas, é a forma mais assertiva de auxiliar neste desenvolvimento.

Bruna de Lucca, diretora do escritório de arquitetura Studio BR, selecionou algumas dicas para criação de espaços que estimulam o desenvolvimento infantil:

Antes de mais nada, encorajamos nossos clientes a dialogar com as crianças antes de criar estes espaços. Promover sua participação na construção do espaço é uma das maiores recomendações de nossas psicopedagogas que prestam consultoria para nossos projetos. Cada criança possui perfil próprio, algumas gostam mais de leitura, outras gostam mais de desenho, o espaço precisa levar em conta a personalidade da criança.
É muito importante selecionar um ambiente especifico destinado à criança, mesmo que seja apenas um cantinho na casa e eliminar elementos que sejam inseguros, como quinas, vidros, superfícies ou materiais que possam tornar-se cortantes no caso de quebra, etc.
Os elementos como móveis inseridos neste local devem ser pensados na escala da criança. Altura, ergonomia, fácil manuseio/acesso e podem ser complementados com cestos organizadores, piso tipo EVA (almofadado/macio).

Sugerimos o uso de elementos formas ser simples, permitindo que o espaço seja de fácil manutenção e limpeza. Cabanas são uma solução de fácil montagem, custo baixo e são um convite à imaginação.
Lousas, rolos com papel para desenho, e superfícies de fácil limpeza são um ponto forte neste tipo de espaço, assim permite-se que a crianças desenvolva sua criatividade, sem haver maior dor de cabeça com a limpeza no momento da brincadeira. 
No lugar de lousas e rolo de desenho, há tintas de parede que permitem a criança escrever sobre a superfície. Desde tinta preta fosca para desenho com giz, à resinas transparentes que permitem escrita com canetinha, diversas soluções podem ser encontradas no mercado.

Cores são importantes, mas devem ser usadas com cautela pois os brinquedos normalmente já são bastante coloridos, e exagero em cores pode deixar a criança mais agitada do que o usual.

O que acharam das dicas Mamães F5?

Daniela O. R.

Nenhum comentário:

Postar um comentário